Instalando o OpenSuSE 11.2

Esse artigo tem por finalidade mostrar aos usuários novos ou mais experientes o processo de instalação do OpenSuSE 11.2, a mais nova versão deste sistema. Faço aqui um convite a quem não o conhece e a quem já conhece esta distro a testar e, se gostar, de usar essa nova versão do sistema, que tem muitas novidades e é muito fácil de usar.

[ Hits: 50.772 ]

Por: Fábio Farias em 07/12/2009


Instalando o OpenSuSE 11.2



Para instalar o openSUSE é preciso que a BIOS esteja configurada para que a prioridade de boot seja através do CD/DVD. Como essa não é uma configuração padrão, deve-se consultar o manual do fabricante da placa-mãe para verificar quais são os procedimentos para isso. Caso não disponha do manual, acesse o site do fabricante da placa-mãe e, procurando pelo modelo, veja o manual e as instruções necessárias para a configuração da BIOS para o início pelo CD/DVD.

Efetuada essa configuração podemos iniciar a instalação do openSUSE. Insira o DVD no drive e reinicie o computador.

Quando a instalação começar vai aparecer esta tela de boas-vindas:
Linux: Instalando o openSUSE 11.2
Em seguida pressione F2 e selecione o idioma pretendido. Em nosso caso, selecionamos o Português Brasileiro.
Linux: Instalando o openSUSE 11.2
Note que embaixo existem algumas outras opções. Normalmente não é necessário mexer nelas, exceto a resolução de tela (F3), caso não esteja de acordo com seu monitor. Pressione enter para iniciar a instalação. Aguarde enquanto o Kernel do Linux e os arquivos de instalação são carregados.
Linux: Instalando o openSUSE 11.2
Ao chegar nessa tela, confirme o idioma selecionado e o mapa do teclado, leia o contrato de licença e, se aceitar, clique em próximo para avançar na instalação.
Linux: Instalando o openSUSE 11.2
Em seguida o sistema testará seus periféricos e controladores para verificar a possibilidade de instalação do sistema. Aguarde a conclusão em clique em próximo.
Linux: Instalando o openSUSE 11.2
Nessa janela, desmarque a opção configuração automática. A instalação que vamos fazer será personalizada, por isso precisamos desmarcar essa opção. Clique em próximo.
Linux: Instalando o openSUSE 11.2
Desmarque a opção (caso esteja selecionada) relógio de hardware definido para UTC. Confirme se o fuso horário confere com a região onde você se localiza e clique em próximo.
Linux: Instalando o openSUSE 11.2
Agora selecionaremos a Área de Trabalho. O openSUSE, quando instalado através do DVD, oferece cinco opções de instalação:
  • Gnome
  • KDE (padrão)
  • XFCE
  • Gráfico mínimo
  • Modo texto

Caso não se selecione nada, será instalado o KDE (no nosso caso usaremos essa interface gráfica). Porém essa é uma questão de gosto. O usuário escolhe a interface que ele achar melhor. Como em nosso caso, é apenas uma introdução ao openSUSE, ficamos com o KDE. Quando o usuário estiver familiarizado com o sistema poderá optar por outras interfaces gráficas. Note que, modo texto e gráfico mínimo exige do usuário um conhecimento mais avançado de sistemas operacionais Linux. Veja as imagens abaixo. A esquerda, a interface KDE selecionada. A direita, as opções.
Linux: Instalando o openSUSE 11.2   Linux: Instalando o openSUSE 11.2
Selecionada a opção do KDE, clique em próximo.

Chegamos ao particionamento do disco (HD). Essa é uma parte mais delicada da instalação, pois erros cometidos aqui põem em risco dados que já possam existir no HD. Em nosso caso foi usado um HD de 20 GB apenas para o openSUSE, ou seja, não há dados e nem outro sistema operacional nele. No tutorial indicado no link na introdução há outras opções de particionamento tendo o Windows instalado e com imagens para ilustrar. Sendo assim, recomendo a leitura dele para verificar o tipo de particionamento indicado para o computador usado para a instalação do openSUSE onde o usuário preserva o Windows e instala o openSUSE em um sistema de dual-boot. Como não há dados a preservar e nem sistema operacional, podemos aceitar a sugestão do particionador e clicar em próximo.
Linux: Instalando o openSUSE 11.2
Escolha um nome de usuário e uma senha de pelo menos oito dígitos entre letras e números. Se você é o único usuário do sistema, pode querer deixar a opção para login automático (assim o sistema inicia direto). Caso mais pessoas usem o mesmo computador, desmarque essa opção. Assim, cada usuário só acessa o sistema após digitar a senha. Essa senha será a mesma para o usuário root (administrador). Caso queira definir uma senha diferente para o root, desmarque a opção "Usar essa senha para o administrador do sistema" e na próxima tela confirme a senha para o root. Nesse caso usaremos login automático e a mesma senha para o root. Veja as imagens abaixo.
Linux: Instalando o openSUSE 11.2   Linux: Instalando o openSUSE 11.2
A próxima tela apresenta um resumo das configurações de instalação. Para alterar algo basta clicar em cada item. É o que faremos em relação a software. Selecione essa opção e em seguida clique em "Detalhes". No alto da janela, selecione "Pesquisar". Aqui você pode remover ou adicionar programas à instalação do openSUSE. A instalação padrão já instala um bom grupo de programas para as necessidades do usuário. Mas este pode querer personalizar, adicionando ou removendo programas. Por exemplo, podemos remover o Kgpg (ferramenta de criptografia). Para isso basta digitar Kgpg no campo de pesquisa e selecionar o item na janela da esquerda até a caixa ficar em branco como mostra a imagem abaixo.
Linux: Instalando o openSUSE 11.2
Para adicionar, basta digitar o nome do programa (pidgin, em nosso exemplo, para mensagens instantâneas) e marcar ao lado. A marca verde indica que esse programa será instalado. Veja, que automaticamente ele seleciona as dependências do programa. Esse é o mesmo procedimento que deverá ser realizado para instalar e remover programas no openSUSE, após ele estar instalado. Veja a imagem abaixo.
Linux: Instalando o openSUSE 11.2
Aproveitando que estamos vendo os procedimentos para adicionar/remover programas, sugiro ao usuário que, neste momento da instalação, adicione os seguintes pacotes: kernel-source, gcc, make e checkinstall. Esse pacotes podem ser necessários depois em caso de instalação de programas por parte do usuário.

Ao clicar em aceitar o sistema selecionará automaticamente todas as dependências necessárias para a instalação. Basta clicar em continuar.
Linux: Instalando o openSUSE 11.2
O instalador retorna para a página de resumo da instalação e, se não quiser fazer mais nenhuma alteração, clique em "Instalar". O instalador alerta para as alterações que serão feitas. Confirme clicando em "Instalar" novamente.
Linux: Instalando o openSUSE 11.2
A instalação se iniciará. Agora é só aguardar sua conclusão para efetuarmos as configurações posteriores. Se a opção configuração automática estivesse sido marcada no início, o instalador iria instalar o sistema e configurá-lo automaticamente, terminando assim a instalação. Mas a configuração manual oferece uma melhor personalização do sistema.
Linux: Instalando o openSUSE 11.2
Página anterior     Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Gravando a imagem ISO no DVD ou CD
   3. Instalando o OpenSuSE 11.2
   4. Finalizando a instalação do OpenSuSE
   5. Usando o sistema
Outros artigos deste autor

Particionamento de disco com o openSUSE

Backup com o Konserve

Alternativas ao Flash Player no openSUSE

Introdução ao Linux: Instalação do Xubuntu

TDE no openSUSE

Leitura recomendada

Host simples no Kurumin

Instalando o PostgreSQL no Fedora

Lógica para computação - parte III

Sistema lento? Encontrando a causa do problema

Leve introdução às linguagens de programação

  
Comentários
[1] Comentário enviado por rauhmaru em 07/12/2009 - 09:38h

openSuSE =/= openSUSE

[2] Comentário enviado por cleysinhonv em 07/12/2009 - 13:43h

Muito bom.

[3] Comentário enviado por Fabio_Farias em 07/12/2009 - 13:47h

Obrigado Amigos!

[4] Comentário enviado por eldermarco em 07/12/2009 - 16:10h

Rapaz, ficou muito completo seu artigo, parabéns! Eu ainda quero conhecer o openSUSE e talvez pelo DVD, não sei. Se for esse o caso, terei de comprar porque baixar 4.7GB nessa minha banda larga...

Assim que puder, irei conhecer o openSUSE também =]

[5] Comentário enviado por humbertofranco em 07/12/2009 - 21:15h

Muito bom post, bastante explicado, intuitivo mesmo. Vou baixar cd e dar uma pesquisada, sem dúvida! Vamos manter o espirito de liberdade!
Abraços, Humberto.

[6] Comentário enviado por albfneto em 07/12/2009 - 21:58h

o OpenSUSE é muito bom!

[7] Comentário enviado por grandmaster em 07/12/2009 - 23:19h

Bem completo. Parabens pelo atigo.
---
Renato de Castro Henriques
CobiT Foundation 4.1 Certified ID: 90391725
http://www.renato.henriques.nom.br

[8] Comentário enviado por dbahiaz em 07/12/2009 - 23:50h

Muito bom artigo, parabéns!

O openSUSE melhora a cada versão.

[9] Comentário enviado por Fabio_Farias em 08/12/2009 - 07:29h

Amigos
Muito obrigado pelos comentários. Lembrnado que nesse artigo indico um link onde pode ser baixado o tutorial completo onde além da instalação há dicas de configuração e uso do sistema.
Abraços!

[10] Comentário enviado por rubem.mn em 08/12/2009 - 11:39h

Parabéns por esse excelente artigo...

[11] Comentário enviado por albfneto em 09/12/2009 - 09:26h

ÓTIMA DISTRO.
Depois de ver seu artigo, me deu vontade de testar de novo o OpenSUSE, nesta nova versão.
Já o tinha testado em versões anteriores.
È um grande trabalho da Comunidade esta versão da Distro alemã OpenSUSE!
ao mesmo tempo que bom para iniciantes, que podem aceitar todas as opções default (sem problemas) o instalador gráfico do OpenSUSE é poderoso! Mais completo que muitos instaladores em modo comando!
Você pode mudar tudo! Por ex, na minha máquina, múltiplo boot, cuidadosamente alterei o Ponto de Montagem do Grub para a partição Raiz do OpenSUSE (pois eu uso GAG, pois tenho muitas outras distros), e com isso, não sobrescrevi a MBR e não perdi nenhum outro grub, seja do sabayon, do gentoo, do mandriva etc...
Ele pode até manter o Grub de outra distro se vc quiser, e vc insere as linhas de Boot do opensuse, no grub antigo da sua outra distro, automáticamente sem editar esse grub antigo.
Ao mesmo tempo que é utilizável por quem nunca usou Linux, ele é poderoso e profissional.
Tive um reconhecimento de hardware completo, do som à webcam, rede, tudo. Nenhuma falha!
A impressora? bastou ligar a impressora durante a instalação, reconhecimento direto e auto configuração.
Uma das Distros mais perfeitas, sem falar na considerável beleza do design gráfico!
Diferente do seu artigo,eu tenho muitos dados e outrasa distros, a aí precisa ser cuidadoso...
Apenas, se vc tiver multiplo boot, cuidado com as opções default de Grub e de formatação, pq a proposta inicial dele, se você aceita, lhe apagará todas as outras partições Linux, mas o particionador e o Grub, como eu disse, são totalmente creguláveis, em modo gráfico, fácil e sem quaisquer necessidades de edição manual de arquivos.
o que eu quiz dizer, é que mesmo ao usuário avançado, principalmente aquele que gosta de distros completas, com muita coisa instalada,não minimilistas, o OpenSUSE agradará bastante.
A performance é excelente para uma Distro grande, é muito rápida e sua instalação é feita em minutos...
Mais fácil e mais rápido que instalar Windows 7!

[12] Comentário enviado por Fabio_Farias em 09/12/2009 - 10:17h

Alberto
Obrigado pelo seu comentário.
O openSUSE é realmente uma boa distro. Demorou para sair essa versão 11.2 (quase um ano) pois houve uma mudança no calendário de lançamentos de 6 para 8 meses. Mas essa versão veio muito boa. A intenção ao escrever esse tutorial é de tentar ajudar um pouco aos usuários de Linux mostrando os passos necessários para iniciar nessa distro. Lembrando que o tutorial completo se encontra aqui: http://www.4shared.com/file/164639118/b4d9cc4/Tutoriais_sobre_o_opensuse_112.html
O que me faz usar o openSUSE é justamente o que você descreveu em detalhes em seu comentário: a capacidade de personalização desse sistema. Eu gosto disso. Dá um pouco mais de trabalho e a instalação demora um pouco mais. Mas o resultado final é a distro do jeito que eu gosto. Harware? Também não é meu problema. Tudo reconhecido e funcionando. Gerenciador gráfico? É só escolher: Kde, Gnome, Xfce e até o mínimo necessário ou modo texto. Por isso, no artigo, recomendo o uso do DVD de instalação por oferecer essas possibilidades de personalização.
Amigo, mais uma vez obrigado pelo seu comentário. Ele e o comentário de todos os outros é na verdade, incentivo para continuar contribuindo com a comunidade Linux.
Abraços!

[13] Comentário enviado por albfneto em 09/12/2009 - 13:00h

Sim, cada vez mais o OpenSUSE se supera. Instalei também GNOME e os outros ambientes gráficos por eu gosto de tudo.
Também usei o DVD para instalar, não o Live, pq no Mandriva eu também uso o Free, que o maior deles

[14] Comentário enviado por Fabio_Farias em 09/12/2009 - 13:35h

É isso aí.
Abraços!

[15] Comentário enviado por WhiteHawk em 06/01/2010 - 08:16h

Parabéns pelo artigo! Testei o OpenSuSE e gostei bastante dele. O ruim é que o SuSE é pesado.

[16] Comentário enviado por possiventura em 08/01/2010 - 22:53h

fábio,
no 4shared a mensagem é :
" The file link that you requested is not valid. "
tadeu

[17] Comentário enviado por Fabio_Farias em 12/01/2010 - 12:49h

Tadeu
Eu ja atualizei esse artigo, por isso o link mudou. Desculpe por não ter corrigido isso antes. Segue o link atual:
http://www.4shared.com/file/185005845/6f881040/Tutoriais_sobre_o_opensuse_112.html

Abraços!

[18] Comentário enviado por renatonog em 25/03/2010 - 23:26h

olha, eu tive uma midia com o OpenSuse,vinha numa revista (nao lembro o nome) , mas eu achava que era tudo a mesma coisa (windows, Linux, entende ?), mas o tempo passou e entendi que uma andorinha so nao procria, e que ninguem vive sozinho.O universo do software livre tem esse nome nao por ter, mas sim por ser !
Tenho o Debian Lenny (uso para por em pratica, o que estou aprendendo com Linux) , e o OpenSuse, sera opçao para ir me adaptando a esse mundo.
Windows ! Desculpe ! Foi bom enquanto durou, nada pessoal.
Parabens, obrigado.

[19] Comentário enviado por Fabio_Farias em 26/03/2010 - 09:44h

Eu é que agradeço pelo comentário.

[20] Comentário enviado por removido em 18/04/2010 - 19:34h

Parabéns pelo seu artigo eu instalei o Suse baseado nele e está tudo perferfeito (até o cable da Net que é usb ele detectou)e o melhor é que descobri que para instalar um programa basta acessar o site do Suse e clicar no programa que quer e esperar pela mensagem de ok.Hoje está muito mais fácil instalar um programa no Linux no que no Win.

sniper!

[21] Comentário enviado por Fabio_Farias em 19/04/2010 - 08:57h

Que bom que foi útil amigo.
Abraços!

[22] Comentário enviado por albfneto em 24/04/2010 - 02:05h

Estou testando o OpenSUSE 11.3 e estou entusiamado.

Ele usa Yast, ou "One Click Install" ou Zypper (eu gosto muito de Zypper) mas tb pode usar URPMI, Yum, RPM e até apt-get, um apt-get de RPM o que o torna muito versátil!

Tem dois sistemas de busca de repos, ele acha os repos sozinho , se vc não quiser procurar.
Grande Distro, belo trabalho!

além disso, descobri que se vc não acha o pacote dele, os RPMs de Mandriva e de Red-Hat ou CentOS, funcionam nele.

Mais alguns artigos aqui do VOL sôbre OpenSUSE:

http://www.vivaolinux.com.br/artigo/Apresentando-a-distribuicao-OpenSuSE-Linux/
http://www.vivaolinux.com.br/artigo/Experiencia-de-posinstalacao-do-openSuSE-11.1-Linux/
http://www.vivaolinux.com.br/artigo/OpenSUSE-Uma-otima-opcao-de-distribuicao

[23] Comentário enviado por albfneto em 24/04/2010 - 02:14h

Minha dúvida sôbre ele, é que alguns dizem que ele é Americano, da Novell,e o SUSE era Alemão.

Mas outros dizem que a Novell comprou na realidade o SUSE comercial, e que o SUSE é que é da Novell, e a Comunidade e os Antigos programadores do SUSE, agora fazem parte do OpenSUSE,
portanto ele seria Alemão e não Americano.

Também ví que ele é bem Democrático e respeita a Filosofia do Sofware Livre, Qualquer um pode traduzi-lo, fazer pacotes para ele e pedir para o time testar, Comunidade testar, isto é ele é grande em numero de pacotes, pq tem gente do Mundo todo fazendo esses pacotes.

Eu mesmo reportei Bugs do 11.3, no OpenSUSE Bugzilla e me atenderam bem, até me agradeceram pq o Bug era real e eles não sabiam..

[24] Comentário enviado por Fabio_Farias em 27/04/2010 - 14:42h

albfneto
Até onde sei a Novell comprou a SUSE. Tanto é que SUSE é a abreviação de "Desenvolvimento de Software e Sistemas" em alemão. Sendo assim, a SUSE alemã não influencia mais pois não existe mais. Hoje vejo o openSuSE como norte-americano. O openSuSE nasceu justamente desta compra, pois até então o SuSE Linux era pago. Ate hoje existe as versões para Desktop e para Servidor do SuSE Linux pagas. A versão openSuSE é que é de graça e conta com o apoio e ajuda da comunidade. Veja também que o openSuSE é base para o SuSE Linux. O que dá certo no openSuSE pode vir a ser colcoado no SuSE Linux. Portanto o SuSE Linux tem um desenvolviemnto mais longo, bem longo.
Quanto a democracia e respeito a filosofia do software, o openSuSE é bem bacana. Conta com o apoio da comunidade (aceita as ideias e as correções de bug que os usuários sugerem). Tem o SUSE Studio que dá para personalizar seu próprio openSuSE. Tem o Build Service onde qualquer um pode criar pacotes para qualquer distribuição.
É....eu acho o openSuSE muito bom....por isso uso, recomendoe tento ajudar no que posso.
Abraços!

[25] Comentário enviado por ileaoorg em 07/08/2010 - 15:50h

nota 10 para o artigo, para a comunidade [não é a maior mas pra mim é a melhor] e para o lindo e estável openSUSE!

[26] Comentário enviado por Fabio_Farias em 07/08/2010 - 16:25h

Obrigado amigo!
Lembrando que o procedimento apresentado aqui pode ser igualmente usado para o openSuSE 11.3
Abraços!


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts