Instalando o Firebird 2.5 e gerenciando com o Flamerobin

Recentemente tive a necessidade de gerar alguns relatórios com o banco de dados de um cliente, solicitei então o backup do banco para análise e ao recebê-lo fui surpreendido com um arquivo .gdb. Para facilitar meu trabalho resolvi utilizar uma ferramenta que fosse mais amigável e acabei encontrando o gerenciador Flamerobin.

[ Hits: 77.197 ]

Por: Carlos Adean em 23/09/2011


Introdução e instalação do Firebird 2.5



Recentemente tive a necessidade de gerar alguns relatórios com o banco de dados de um cliente, solicitei então o backup do banco para análise e ao recebê-lo fui surpreendido com um arquivo .gdb.

Para facilitar meu trabalho resolvi utilizar uma ferramenta que fosse mais amigável, tal como o pgadmin para o postgresql, comecei então a pesquisar a repeito e encontrei o Flamerobin.

Através deste pequeno artigo compartilho a experiência que tive para instalar o Firebird e administrá-lo com este gerenciador Flamerobin.

Um pouco sobre o Firebird

O Firebird é um banco de dados relacional que utiliza o padrão ANSI SQL, é open source e possui versões para GNU/Linux, Windows, Mac e *nix. Com o Firebird você pode salvar sua base de dados em um único arquivo, este arquivo pode ter as extensões .fdb ou .gdb e tamanho aproximado de 1 terabyte, além disso é possível dividir em múltiplos arquivos um único banco de dados.

Na primeira vez em que tentei instalar o Firebird me deparei com diversas apresentações/versões no repositório oficial do Ubuntu. Faça uma busca com o comando aptitude e entenderás o que estou falando, aí você me pergunta, qual versão devo instalar?

Como eu precisava apenas ter acesso ao banco de dados, optei por instalar a versão superserver. Na seção de downloads do projeto existem 4 variações do Firebird: embedded, classic, superclassic e superserver, não vou entrar nos detalhes de cada variação pois não é foco deste artigo.

Instalando o Firebird 2.5 Superserver e o Flamerobin

No terminal digite:

sudo aptitude install firebird2.5-super flamerobin

Após a instalação dos pacotes é necessário que você configure o Firebird, note que se você pular esta etapa, posteriormente não conseguirá se conectar ao banco de dados com o Flamerobin. No terminal digite:

sudo dpkg-reconfigure firebird2.5-super

Você será questionado se deseja ativar o Firebird durante o boot do sistema, escolha a opção [sim] e pressione [enter].
Na próxima tela é apresentado um aviso sobre a definição de senha, basta pressionar [enter] e em seguida defina a senha de acesso ao Firebird. Esta senha pertencerá ao usuário sysdba, podemos dizer que este é o 'root' do firebird. A senha digitada ficará armazenada no arquivo /etc/firebird/2.5/SYSDBA.password, este é um arquivo texto puro e por questões de segurança somente o root tem acesso de leitura.

Se desejar alterar a senha, acrescentar ou excluir usuários faça uso do utilitário gsec, em hipótese alguma edite diretamente os arquivos do diretório /etc/firebird/2.5/.
    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução e instalação do Firebird 2.5
   2. Conectando ao banco de dados
   3. Utilizando o Flamerobin
Outros artigos deste autor

Raspberry Pi: Central Multimídia com OpenELEC

Leitura recomendada

Coletando informações direto do FIREBIRD via D.O.S. ou SHELL

Interbase no Debian

Instalando o Firebird no Debian

Interbase 6 no Slackware

Acessando o Firebird que esta atras de um firewall

  
Comentários
[1] Comentário enviado por cruzeirense em 23/09/2011 - 16:37h

Boa dica!

Também uso o firebird, acho muito bom, principalmente pela facilidade de instalação e a quantidade de recursos.

Só queria fazer algumas observações:

1 - O firebird é compatível com arquivos do interbase, se não me engano até a versão 6.5, a partir disso você não vai conseguir abrir os arquivos.
2 - Para abrir arquivos de uma versão incompatível você deve gerar um backup deste arquivo no servidor de banco de dados original e depois fazer uma restauração no firebird.

Abraços,

Renato

[2] Comentário enviado por paulorvojr em 23/09/2011 - 23:38h

Belo artigo, muito útil, parabéns, maaaas

perfeita as falas do cruzeirense

falar que .gdb é firebird é o mesmo que .so é .dll de windows, .gdb é interbase, mas como o firebird é totalmente baseado no código fonte do interbase, ele claro abre o seu rival

interbase é pago, firebird é livre

firebird não abre .gdb novos neeem a pau, so coisa legada

resumindo, gdb não é firebird, .fdb que é.

[3] Comentário enviado por c4rl em 08/10/2011 - 11:14h

galera valeu pelo feedback sobre o .gdb.

[4] Comentário enviado por hanunjunior em 25/04/2014 - 17:18h

Muito bom o seu tuto, gostaria de saber se algum conhece alguma Ferramenta de designer visual para o firebird, sem ser o interbase

[5] Comentário enviado por c4rl em 29/04/2014 - 11:29h

Talvez lhe ajude o Firebird Database Manager - sqlmanager.net‎ (é pago mas vale a pena), tem também o DBdesigner http://sourceforge.net/projects/dbdesigner-fork/

https://www.google.com.br/search?client=ubuntu&channel=fs&q=firebird+visual+design+tool&...

Abc


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts