Instalação do Funtoo GNU/Linux em VirtualBox

Funtoo GNU/Linux é para usuários avançados e pacientes. Foi criada pela mesma pessoa que criou a famosa distribuição Gentoo. Trata-se de um sistema extremamente flexível, configurável, voltado para otimização e desempenho. Este artigo é um passo-a-passo da instalação dessa distribuição no Virtualbox. Uma ajudinha para quem quer testá-la, mas acha complicado iniciar.

[ Hits: 28.570 ]

Por: Xerxes Lins em 25/07/2014 | Blog: https://heeeeeeeey.com/


Introdução



Funtoo, a distro bonsai?

Os requisitos para instalar Funtoo GNU/Linux são os mesmos requisitos principais exigidos para se cultivar Bonsai: tempo e paciência. Descubra o por quê ao instalar essa distribuição pela primeira vez.

Funtoo VS Gentoo

Esta introdução é por conta do nosso amigo Alberto Federman Neto, o albfneto. Ele é:
E muito mais...

Por ser um usuário acostumado com Gentoo e Funtoo ele tem base para afirmar que:
"Funtoo tem todos os pacotes que o Gentoo tem, e mais coisas. Além disso, usando Funtoo, você pode usar pacotes Gentoo junto, é só trocar a árvore Portage. É como ter o Gentoo e mais coisas.

Quando o Daniel saiu da fundação Gentoo, foi como se desse um tapa de luva de pelica... "sozinho, consigo fazer melhor que vocês juntos". O Daniel Robbins é um grande programador, é bem acessível. Para quem quiser testar Gentoo e Funtoo, ele responde todos os e-mails, atende a galera, mesmo iniciante, é bem legal e competente. E mesmo a galera da fundação Gentoo tendo gente dizendo que o Funtoo é uma brincadeira, O Daniel foi uma perda grande para o Gentoo.

Ainda, usando o controlador de versões GIT, com o Funtoo se pode, se quiser, usar a árvore de Portage do Gentoo. É como ter o Gentoo e o funtoo ao mesmo tempo. O Funtoo é um aperfeiçoamento do Gentoo.

Outra diferença, é que o Gentoo, classicamente incentiva (embora possa ser totalmente atualizado) o uso dos pacotes stable, enquanto no Funtoo, a preferência é dada aos pacotes unstable e trunk. Também o Portage é mantido atualizadíssimo, enquanto no Gentoo, os novos Portage, embora possam ser usados, são mantidos Hard Masked.

A instalação e os comandos para o uso são muito parecidos. Não sei dizer, se GIT é melhor... veja porque... GIT é um protocolo de controle de versão, como CVS, como subversion (SVN), já o Gentoo clássico, não usa controle de versão típico, usa RSYNC, sincronismo. São protocolos de tipos diferentes, é difícil comparar, mas GIT é muito mais rápido. Entre os protocolos de controle de versão, o GIT é o que tem sido mais usado.

Mesmo nos Overlays de Gentoo clássico, quem mantinha servers tipo Rsync, CVS ou SVN, muitos tem migrado para GIT. Já, fazê-lo para várias arquiteturas, não é problema no Funtoo, porque ele é totalmente de compilação, como o Gentoo, é só modificar o make.conf."

Acredito que essas palavras sejam suficientes para introduzir um pouco da visão "Funtooniana".

Principais características do Funtoo:
  • É minimalista. Não tem nada, vem "pelada" e o usuário começa a configurar o sistema aos poucos.
  • NÃO dispõe de um live-CD de instalação, ao contrário da maioria das distribuições. O usuários pode usar qualquer live-CD (seja do Ubuntu, Gentoo, etc) para começar a instalar Funtoo. Mas é recomendado o uso do live-CD SystemRescueCD devido sua boa detecção de hardware e ferramentas disponíveis, além de ser baseada em Gentoo.
  • Compatível com todos os processadores: i486, i586, i686, x86_64, alpha, arm, hppa, mips, powerpc, ppc64, sparc64.
  • Faz uso de um sistema Ports, assim como o FreeBSD.
  • Baixa o código fonte dos pacotes direto de seus servidores oficiais, depois compila e instala na máquina do usuário. É isso que faz com que a distribuição se encaixe na categoria source based.
  • Não é recomendada para usuários iniciantes, pois exige um certo grau de familiaridade com comandos do GNU/Linux, mas não apenas isso, exige também conhecimento para lidar com parâmetros de compilação e possíveis conflitos entre pacotes.

Não sou usuário Linux avançado, mas mesmo assim, com um certo esforço, consegui instalar Funtoo e iniciar o ambiente gráfico. Este artigo é para ajudar pessoas na mesma situação que a minha, que não são usuários avançados, mas querem experimentar o Funtoo. Porém, sentem dificuldade para começar, por qualquer motivo.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Boot, formatação e partições
   3. Stage3 e Chroot
   4. Portage, make.conf e outras configurações
   5. Idioma do sistema e profiles
   6. Kernel e Grub
   7. Ferramentas essenciais, wi-fi e sudo
   8. Últimas dicas e conclusão
Outros artigos deste autor

Três distros inspiradas no Mac OS

LAMP no Funtoo Linux em 15 minutos

Samba no Arch Linux (para principiantes)

Crise de distro!

Criando um servidor FTP acessível fora da LAN com o Proftpd

Leitura recomendada

Configurar rede wireless (ndiswrapper)

Otimizando a bateria em sistemas Android 2.2/2.3

Slapt-get 0.10.2s - Conceitos Básicos

Configuração do Compiz Fusion pós instalação

Instalado Fedora-DS e integrando com Samba

  
Comentários
[1] Comentário enviado por izaias em 25/07/2014 - 11:24h

Rapaz, é uma aventura! :)


Xerxes, o que seria: "elinks http://ftp.osuosl.org/pub/funtoo/ "
Esse "elinks" equivale o "wget"?

[2] Comentário enviado por xerxeslins em 25/07/2014 - 11:26h


[1] Comentário enviado por izaias em 25/07/2014 - 11:24h:

Rapaz, é uma aventura! :)


Xerxes, o que seria: "elinks http://ftp.osuosl.org/pub/funtoo/ "
Esse "elinks" equivale o "wget"?


olá! O elinks é um navegador de internet, como o Firefox, só que ele funciona dentro do terminal, em modo texto. É uma forma de navegar nas páginas quando se está sem ambiente gráfico.


[3] Comentário enviado por izaias em 25/07/2014 - 11:31h

Então é assim que funciona o elinks. Não sabia.
Lembro do navegador em modo texto, tinha me esquecido dele.

Também, como uma distro em modo texto iria baixar pacotes? rs
VLW

[4] Comentário enviado por Lucas_Mariano em 27/07/2014 - 00:30h

Estou eu aqui com o meu Arch todo arrumado. Ai invento de abrir a página do VOL, encontro um artigo desses e me vem aquela saudade do portage... lá vamos nós de novo... será que existe uma maldição de Daniel Robbins? rsrsrs 10 pelo artigo! Eu costumo usar um live do sabayon, normalmente sabayon xfce, quando tinha iso com o mate está era a minha preferida.

[5] Comentário enviado por xerxeslins em 27/07/2014 - 07:17h


[4] Comentário enviado por Lucas_Meneses em 27/07/2014 - 00:30h:

Estou eu aqui com o meu Arch todo arrumado. Ai invento de abrir a página do VOL, encontro um artigo desses e me vem aquela saudade do portage... lá vamos nós de novo... será que existe uma maldição de Daniel Robbins? rsrsrs 10 pelo artigo! Eu costumo usar um live do sabayon, normalmente sabayon xfce, quando tinha iso com o mate está era a minha preferida.


Valeu! :)


[6] Comentário enviado por wandx em 08/10/2014 - 23:03h

Parabéns pelo artigo. Após lê-lo, criei coragem e resolvi me enveredar pelo Funtoo. Segui o tutorial da página oficial do projeto e mesclei com alguns passos do seu artigo/tutorial.
Após finda a instalação acho que rezei pouco. Estou com o seguinte problema no boot se alguém puder me ajudar.

O sistema foi instalado usando kvm-qemu.
O boot inicia-se, grub ok, OpenRC inicia e logo após o passo "Migrating /var/lock to /run/lock ...

rm: não foi possível remover /var/lock/.keep_sys-apps_baselayout-0: Sistema de arquivos somente leitura.

Revisei o processo e o fstab e não consegui encontrar o problema.

Diferente do artigo, optei por utilizar o kernel debian-sources (apesar de estar em um VM) pois não consegui inicializar (kernel panic) utilizando o kernel informado nesse tutorial.

Obrigado e se precisarem de mais alguma informação, é só dizer.

ps: O projeto Funtoo ainda carece de documentações para os erros, pesquisei um bocado e nada. Mais uma vez parabéns.




[7] Comentário enviado por xerxeslins em 09/10/2014 - 16:56h

Infelizmente ainda não sei o que pode ser. Hoje eu também estou usando o Funtoo com kernel Debian e ainda bem que está tudo OK.

Faça sua pergunta no fórum. Provavelmente albfneto sabe a resposta. Ou o zezaocapoeira.

Abraço!

[8] Comentário enviado por lucasampaio94 em 12/10/2014 - 08:40h

Pessoal, estou usando o estage3 x86-x64 core i7 e o meu make.conf só veio com as opções cflags e cxxflags. Preciso acrescentar mais coisas?
Como meu processador é core i3 eu acrescentei makeopts="-j5". Por enquanto só tenho esses tres parametros, oque mais tenho que colocar?


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts