Conky: Manual traduzido pt-BR

Este artigo possui o manual completo e traduzido do monitor de sistema para X, Conky. Decidi fazer esta tradução em razão do fato de não dominar muito bem a língua inglesa. Então, havia um grande abismo em meio a meu aprendizado em relação a esta brilhante ferramenta. Utilizei de algumas ferramentas on-line para me ajudar nesta tarefa, fazendo as adaptações necessárias para tornar o documento o mais coerente e simples possível. A principal função deste artigo é servir como um guia de consulta, referente ao que cada objeto, variável ou opção do conky faz.

[ Hits: 4.531 ]

Por: Lucas de M. Corrêa em 12/05/2018


Introdução



Conky é um monitor de sistema para X originalmente baseado no código fonte do torsmo. Desde sua criação, mudou significativamente em relação à sua base, mantendo características como a simplicidade e a configuração, mas ampliando as barreiras do que se pode ser feito/exibido.
Linux: Conky: Manual traduzido pt-BR
Além de possuir muitos recursos e objetos embutidos, o conky também pode exibir qualquer informação extra usando scripts e outros programas externos.

Ao todo, são mais de 250 objetos incorporados, incluindo suporte à uma infinidade de estatísticas do sistema, (como, tempo de atividade, uso de CPU, uso de memória, uso de disco, "top", estatísticas de processo e monitoramento de rede, (apenas alguns exemplos)). Também possui suporte à caixas IMAP e POP3. E é apoiado por muitos players de mídia populares, como: MPD, Moc, XMMS2, BMPx, Audacious, e mais.

As informações podem ser exibidas como texto, ou usando barras de progresso, widgets ou gráficos, com diferentes tipos de letras e cores, desenhados em uma janela própria ou diretamente em sua área de trabalho.

Instalação

O conky está disponível nos repositórios da maioria das distribuições mais populares. Aqui estão algumas instruções de instalação para algumas:

Gentoo:

# emerge app-admin/conky

Debian (e derivados):

# apt-get install conky

Arch (e derivados):

# pacman -S conky

Sabayon:

# equo install conky --ask

Void:

# xbps-install -S conky

openSUSE:

# zypper install conky

Fedora:

# dnf install -y conky

Para usuários que compilam a partir de fontes em uma distribuição source-based (ou não), verifique se você possui as bibliotecas de desenvolvimento X necessárias instaladas (a menos que você configure sua compilação sem suporte ao X11). Este deve ser declarado ao longo das linhas de "libx11-dev" ou "xorg-x11-dev" para bibliotecas X11 e, formato "-dev" similar para as outras bibliotecas necessárias (dependendo das suas opções de compilação).

Você deve poder ver quais pacotes extras precisaram ser instalados lendo erros que você obtém executando "cmake". A maneira mais fácil de visualizar as opções de compilação disponíveis é executando "ccmake" ou "cmake-gui", mas tenha cuidado ao desativar determinados recursos, pois você pode perder a funcionalidade desejada e até tornar a aplicação inútil. Por exemplo, com BUILD_MATH desativado você não receberá erros, mas os gráficos logarítmicos, serão gráficos normais e os medidores perderão sua linha.

Exemplo para compilar e executar o Conky com os componentes padrão (observe que algumas opções de construção podem ser diferentes para o seu sistema):

./configure --prefix=/usr --enable-x11 --enable-mpd #Veja "help" para uma lista completa das opções
$ make
# make install


O conky foi testado para ser compatível com C99, C, C++0x e C++, no entanto, não foi testado com nada além de gcc e não é garantido o funcionamento com outros compiladores.

P.S.: tente configurar o Conky com "ccmake" ou "cmake-gui" em vez de apenas "cmake".

Você deveria saber

1. Conky geralmente é "muito bom em recursos". Dito isso, quanto mais você tentar "fazer o Conky fazer", mais recursos ele irá consumir.

2. Uma maneira fácil de forçar o Conky a recarregar o seu ~ /.config/conky/conky.conf (arquivo de configuração) é executando:

killall -SIGUSR1 conky

Você também pode usar '-SIGHUP' como argumento. Ambos resolvem o problema de ter que matar o Conky e reexecutá-lo novamente.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Linha de comando
   3. Definições de configuração
   4. Objetos/Variáveis
   5. Objetos/Variáveis (parte 2)
   6. API Lua
   7. Exemplos {...}
Outros artigos deste autor

Qual distro escolher

Introdução ao Ubuntu - Instalação de programas e outras dicas

Leitura recomendada

Os Caminhos Para Certificação LPI1

Wine: Como associar uma extensão a um aplicativo instalado

Como conheci o GNU/Linux

antiX: uma distro versátil

Procedimentos para flash do DIR-300 com DD-WRT e OpenWRT - versão 2

  
Comentários
[1] Comentário enviado por fabio em 12/05/2018 - 15:35h

Parabéns pelo trabalho! Imagino a encrenca que foi fazer uma tradução desse tamanho.

[2] Comentário enviado por correalinux em 13/05/2018 - 18:14h


[1] Comentário enviado por fabio em 12/05/2018 - 15:35h

Parabéns pelo trabalho! Imagino a encrenca que foi fazer uma tradução desse tamanho.

Valeu Fábio,
Eu queria porque queria aprender a configurar o Conky, uma forma que encontrei de fazer isso foi traduzindo o manual, e ir treinando.
Foi algo que demorou bastante tempo, mas acho que não foi em vão.

[3] Comentário enviado por wadilson em 14/05/2018 - 10:46h

Muito bom!

Marcadíssimo nos Favoritos.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor HostGator.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Viva o Android

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts