Conky: Manual traduzido pt-BR

Este artigo possui o manual completo e traduzido do monitor de sistema para X, Conky. Decidi fazer esta tradução em razão do fato de não dominar muito bem a língua inglesa. Então, havia um grande abismo em meio a meu aprendizado em relação a esta brilhante ferramenta. Utilizei de algumas ferramentas on-line para me ajudar nesta tarefa, fazendo as adaptações necessárias para tornar o documento o mais coerente e simples possível. A principal função deste artigo é servir como um guia de consulta, referente ao que cada objeto, variável ou opção do conky faz.

[ Hits: 9.652 ]

Por: User not found em 12/05/2018


Introdução



Conky é um monitor de sistema para X originalmente baseado no código fonte do torsmo. Desde sua criação, mudou significativamente em relação à sua base, mantendo características como a simplicidade e a configuração, mas ampliando as barreiras do que se pode ser feito/exibido.
Linux: Conky: Manual traduzido pt-BR
Além de possuir muitos recursos e objetos embutidos, o conky também pode exibir qualquer informação extra usando scripts e outros programas externos.

Ao todo, são mais de 250 objetos incorporados, incluindo suporte à uma infinidade de estatísticas do sistema, (como, tempo de atividade, uso de CPU, uso de memória, uso de disco, "top", estatísticas de processo e monitoramento de rede, (apenas alguns exemplos)). Também possui suporte à caixas IMAP e POP3. E é apoiado por muitos players de mídia populares, como: MPD, Moc, XMMS2, BMPx, Audacious, e mais.

As informações podem ser exibidas como texto, ou usando barras de progresso, widgets ou gráficos, com diferentes tipos de letras e cores, desenhados em uma janela própria ou diretamente em sua área de trabalho.

Instalação

O conky está disponível nos repositórios da maioria das distribuições mais populares. Aqui estão algumas instruções de instalação para algumas:

Gentoo:

# emerge app-admin/conky

Debian (e derivados):

# apt-get install conky

Arch (e derivados):

# pacman -S conky

Sabayon:

# equo install conky --ask

Void:

# xbps-install -S conky

openSUSE:

# zypper install conky

Fedora:

# dnf install -y conky

Para usuários que compilam a partir de fontes em uma distribuição source-based (ou não), verifique se você possui as bibliotecas de desenvolvimento X necessárias instaladas (a menos que você configure sua compilação sem suporte ao X11). Este deve ser declarado ao longo das linhas de "libx11-dev" ou "xorg-x11-dev" para bibliotecas X11 e, formato "-dev" similar para as outras bibliotecas necessárias (dependendo das suas opções de compilação).

Você deve poder ver quais pacotes extras precisaram ser instalados lendo erros que você obtém executando "cmake". A maneira mais fácil de visualizar as opções de compilação disponíveis é executando "ccmake" ou "cmake-gui", mas tenha cuidado ao desativar determinados recursos, pois você pode perder a funcionalidade desejada e até tornar a aplicação inútil. Por exemplo, com BUILD_MATH desativado você não receberá erros, mas os gráficos logarítmicos, serão gráficos normais e os medidores perderão sua linha.

Exemplo para compilar e executar o Conky com os componentes padrão (observe que algumas opções de construção podem ser diferentes para o seu sistema):

./configure --prefix=/usr --enable-x11 --enable-mpd #Veja "help" para uma lista completa das opções
$ make
# make install


O conky foi testado para ser compatível com C99, C, C++0x e C++, no entanto, não foi testado com nada além de gcc e não é garantido o funcionamento com outros compiladores.

P.S.: tente configurar o Conky com "ccmake" ou "cmake-gui" em vez de apenas "cmake".

Você deveria saber

1. Conky geralmente é "muito bom em recursos". Dito isso, quanto mais você tentar "fazer o Conky fazer", mais recursos ele irá consumir.

2. Uma maneira fácil de forçar o Conky a recarregar o seu ~ /.config/conky/conky.conf (arquivo de configuração) é executando:

killall -SIGUSR1 conky

Você também pode usar '-SIGHUP' como argumento. Ambos resolvem o problema de ter que matar o Conky e reexecutá-lo novamente.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Introdução
   2. Linha de comando
   3. Definições de configuração
   4. Objetos/Variáveis
   5. Objetos/Variáveis (parte 2)
   6. API Lua
   7. Exemplos {...}
Outros artigos deste autor

Qual distro escolher

Introdução ao Ubuntu - Instalação de programas e outras dicas

Leitura recomendada

Utilizando ferramentas de virtualização para testar distros

Traduzir dicas e mensagens do login

Baixando as fotos da sua câmera digital

Masterização de VCD's com menu interativo

CentOS como terminal server autenticando em Windows Server 2003 Active Directory com montagem automática de compartilhamentos de rede

  
Comentários
[1] Comentário enviado por fabio em 12/05/2018 - 15:35h

Parabéns pelo trabalho! Imagino a encrenca que foi fazer uma tradução desse tamanho.

[2] Comentário enviado por correalinux em 13/05/2018 - 18:14h


[1] Comentário enviado por fabio em 12/05/2018 - 15:35h

Parabéns pelo trabalho! Imagino a encrenca que foi fazer uma tradução desse tamanho.

Valeu Fábio,
Eu queria porque queria aprender a configurar o Conky, uma forma que encontrei de fazer isso foi traduzindo o manual, e ir treinando.
Foi algo que demorou bastante tempo, mas acho que não foi em vão.

[3] Comentário enviado por wadilson em 14/05/2018 - 10:46h

Muito bom!

Marcadíssimo nos Favoritos.


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor RedeHost.
Linux banner
Linux banner
Linux banner

Destaques

Artigos

Dicas

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts