Chkrootkit - Como determinar se o sistema está infectado com rootkit

No artigo você vai encontrar perguntas como: o que é rootkit? Como instalar o chkrootkit? Como executar o chkrootkit? Achei rootkit, o que fazer? Quais são os rootkits, worms e LKMs detectados atualmente? Vulnerabilidades e exposições comuns do chkrootkit.

[ Hits: 3.205 ]

Por: Meia Noite em 12/04/2017


O que é rootkit



Os rootkits podem ser instalados tanto localmente (quando alguém tem acesso físico à sua máquina), quanto remotamente, caso o intruso tenha acesso via SSH, VNC, XDMCP ou qualquer outra forma de acesso remoto à sua máquina. Neste caso, ele precisará primeiro descobrir a senha de algum dos usuários do sistema para poder fazer login.

A instalação do rootkit é, em geral, o último passo de uma série de ataques que visam obter acesso à uma conta de usuário do sistema. A partir do momento que é possível logar na máquina, o atacante executa o rootkit para tentar obter privilégios de root.

Uma vez instalado, o rootkit vai alterar binários do sistema, instalar novos módulos no Kernel e alterar o comportamento do sistema de várias formas, para que não seja facilmente detectável. O processo do rootkit não aparecerá ao rodar o "ps -aux", o módulo que ele inseriu no Kernel para alterar o comportamento do sistema não vai aparecer ao rodar o "lsmod" e assim por diante.

Os invasores, para ocultar sua presença em máquinas comprometidas, fazendo parte inclusive de alguns Worms e ferramentas de DDoS. Uma invasão pode passar meses sem ser descoberta, graças a essas ferramentas. Além das versões tradicionais, rootkits vem sendo implementados também sob a forma de módulos de Kernel (LKMs), dificultando a sua detecção.

Chkrootkit

Naturalmente, também existem programas capazes de detectar rootkits. Um dos mais populares é o chkrootkit, que pode ser encontrado em:
Como instalar o chkrootkit?

No Debian ou derivados, você pode instalar pelo apt-get:

# apt-get update
# apt-get install -y chkrootkit

Como executar o chkrootkit?

# chkrootkit
nothing found
not promisc and no packet sniffer sockets


Se tudo resultou como acima, o sistema está limpo.

Ele exibe um longo relatório, mostrando um por um, os arquivos checados. Numa máquina saudável, todos retornarão um "nothing found":

Searching for Ramen Worm files and dirs... nothing found
Searching for Maniac files and dirs... nothing found
Searching for RK17 files and dirs... nothing found
Searching for Ducoci rootkit... nothing found
Searching for Adore Worm... nothing found
Searching for ShitC Worm... nothing found
Searching for Omega Worm... nothing found ...


Uma parte importante é a checagem das interfaces de rede, que aparece no final do relatório:

Checking `sniffer'... lo: not promisc and no packet sniffer sockets
eth0: not promisc and no packet sniffer sockets


Os sniffers são usados para monitorar o tráfego da rede e assim obter senhas e outras informações, não apenas do servidor infectado, mas também de outras máquinas da rede local. Um dos sintomas de que existe algum sniffer ativo, é a placa da rede estar em modo promíscuo, onde são recebidos também pacotes destinados a outros micros da rede local.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. O que é rootkit
   2. Achei rootkit, o que fazer?
   3. Licença, livros, artigos e pessoas que contribuíram para o projeto
   4. Vulnerabilidades e exposições comuns do chkrootkit
Outros artigos deste autor

Os Mistérios da Fonte Wingdings do Windows

Como realizar migração de Windows para Linux em uma empresa

Leitura recomendada

Protegendo seu Linux de ataques de brute force via ssh

Detectando possíveis trojans e lkms em seu servidor

Instalando Snort e Guardian no Slackware

Labrador, um detector de intrusos

Segurança da Informação no Brasil, qual é nossa realidade?

  
Comentários
[1] Comentário enviado por Freud_Tux em 12/04/2017 - 09:30h

Bom texto!

A melhor dica, com toda a certeza, foi em relação em retirar a máquina da rede e executar um sistema "live" com o chkrootkit para atestar a saúde da máquina.
Poderia ter indicado alguns sistemas que venham com o chkrootkit já instalado, pois, facilitaria a vida, e evitaria que a máquina alvo seja logada a internet de qualquer forma, pois, dependendo do rootkit, ele pode se alojar dentro da partição ESP, e de algum modo, tentar acessar o sistema live usando a Internet. Prevenir nesse caso é melhor do que remediar.

Favoritado ;)

T+
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Noob:"[...]Sou muito noob ainda usando o terminal, então preciso de ajuda "mastigada", pra operá-lo."
zhushazang: "Sou velho e meus dentes desgastados. Estude linux www.guiafoca.org";

[2] Comentário enviado por pinguintux em 14/04/2017 - 09:09h

Parabéns pelo excelente artigo. Muito bem montado, objetivo e esclarecedor. Já adicionei aos favoritos!


Contribuir com comentário




Patrocínio

Site hospedado pelo provedor HostGator.
Linux banner
Linux banner
{BANNER_MODEL3}

Artigos

Dicas

Viva o Android

Tópicos

Top 10 do mês

Scripts