Instalando e configurando o SliTaz numa memória flash

O SliTaz GNU/Linux vem se destacando como uma distribuição leve, eficiente, rápida e esteticamente agradável. Esse artigo realiza uma análise das características gerais da distribuição, além de descrever como instalar e personalizar o SliTaz em diferentes ambientes.

[ Hits: 42.747 ]

Por: Oriel Frigo em 07/12/2009


Motivação e introdução

Participando de um projeto de "revitalização" de máquinas caça-níqueis, recebi algumas memórias flash de 64, 128 e 256MB para que fossem formatadas e recebessem uma instalação do GNU/Linux. Já havia testado diversas distribuições leves, entre elas o DSL e Slax, mas lembro que nenhuma delas possuía menos de 64MB. Então lembrei do SliTaz, uma curiosa distribuição francesa cujo a imagem ISO possui menos de 30MB.

SliTaz significa "Simple Light Incredible Temporary Autonomous Zone", possuindo em seu nome uma referência ao conceito de Zona Autônoma Temporária, introduzido pelo filósofo anarquista Hakim Bey. Em abril de 2008 foi considerada a menor distro com um desktop totalmente funcional. O sistema de janelas X utilizado é o levíssimo Xvesa (assim como no DSL). Mas a grande diferença estética do SliTaz está no gerenciador de janelas JWM (Joe's Window Manager) , que lembra um pouco o XFCE e é baseado em GTK.

Instalação do SliTaz LiveUSB na memória Flash

Memórias Flash Card são dispositivos de armazenamento que vem substituindo o disco rígido em diversas aplicações. Esse tipo de memória é menos sensível e mais veloz que os HDs, pois, assim como a memória RAM, ela se baseia nos circuitos de transistores, ao contrário do HD, que é um dispositivo eletromecânico, baseado na magnetização e em cabeças de leitura/gravação.

A Flash Card é geralmente conectada ao barramento IDE por meio de um adaptador, como mostra a Figura 1.
Linux: Instalando e configurando o SliTaz numa memória flash
Dessa forma a memória passa a ser reconhecida pela BIOS como se realmente fosse um disco rígido, da mesma forma o Kernel/udev irá mapear a memória Flash para uma nomenclatura do tipo /dev/hdX.

É possível também conectar a memória Flash via USB, utilizando por exemplo uma gaveta de HD "hackeada", como demonstra a Figura 2.
Linux: Instalando e configurando o SliTaz numa memória flash
Nesse caso a memória será reconhecida pelo sistema como dispositivo do tipo SATA, com a nomenclatura /dev/sdX.

Para instalar o SliTaz LiveUSB na memória Flash, primeiramente é necessário iniciar o sistema com o live-cd do SliTaz, cuja imagem está disponível aqui.

O SliTaz conta com o tazusb, um conjunto de aplicativos para facilitar a instalação do sistema em pendrives e memórias Flash Card. Antes de se instalar o sistema, a memória precisa ser formatada para o sistema de arquivos EXT3. Isso pode ser feito com o comando:

# tazusb format /dev/nome

Onde nome (geralmente hda1/sda1 ou similar) é o dispositivo associada à memória flash. Isso pode ser descoberto facilmente com o comando dmesg, procurando por algo similar a essa saída do Kernel:

[ 1133.812728] sd 2:0:0:0: [sda] 4081152 512-byte hardware sectors (2090 MB)
[ 1133.813460] sd 2:0:0:0: [sda] Write Protect is off
[ 1133.813473] sd 2:0:0:0: [sda] Mode Sense: 3b 00 00 00
[ 1133.813480] sd 2:0:0:0: [sda] Assuming drive cache: write through
[ 1133.816825] sd 2:0:0:0: [sda] 4081152 512-byte hardware sectors (2090 MB)
[ 1133.817455] sd 2:0:0:0: [sda] Write Protect is off
[ 1133.817467] sd 2:0:0:0: [sda] Mode Sense: 3b 00 00 00
[ 1133.817473] sd 2:0:0:0: [sda] Assuming drive cache: write through
[ 1133.817489] sda: sda1

Depois da memória formatada, o sistema pode ser instalado com o comando:

# tazusb gen-liveusb /dev/nome

Esse comando instala uma nova MBR no dispositivo, marca a partição como inicializável e instala syslinux/extlinux dependendo do sistema de arquivos detectado. Copia, então, o kernel e o sistema de arquivos do live-cd, e os coloca no dispositivo /dev/name, criando uma cópia inicializável do SliTaz na memória Flash.

Após isso, o sistema é copiado do live-cd para a memória flash, sendo criado um diretório boot na raiz da memória flash, contendo 3 arquivos:
  • bzImage - o kernel de apenas 1.6MB
  • rootfs.gz - o diretório raiz comprimido em LZMA
  • syslinux - um diretório com arquivos diversos de configuração, como imagem splash de boot

Em cada boot o arquivo rootfs será descomprimido e copiado para a memoria RAM, necessitando de cerca de 160MB de RAM no momento de inicialização do sistema. O sistema raiz a princípio será imutável, permanecendo sempre compactado. Porém, se for necessário instalar algum aplicativo ou modificar algo no sistema, é possível gerar um novo sistema raiz compactado com o comando:

# tazusb writefs lzma

A solução SliTaz LiveUSB é funcional apenas para sistemas que contém pelo menos 256MB de RAM. A próxima sessão aborda o caso para sistemas em que a memória seja limitada.

    Próxima página

Páginas do artigo
   1. Motivação e introdução
   2. Instalação via slitaz-installer com Grub
   3. Instalação de aplicativos e personalização do sistema
   4. Alguns problemas detectados
   5. Considerações finais
Outros artigos deste autor

Ativando o suporte a DRI no Gentoo Linux

Leitura recomendada

Fundamentos do sistema Linux: discos e partições

Instalando o OpenSuSE 11.2

Docker - Da virtualização a aplicações distribuídas

OpenSUSE - Uma ótima opção de distribuição

Apresentando a distribuição OpenSuSE Linux

Comentários
[1] Comentário enviado por vagnerd em 07/12/2009 - 12:07h

Oriel, parabéns pelo artigo, muito interessante.

[2] Comentário enviado por Fabio_Farias em 07/12/2009 - 12:24h

Parabéns pelo artigo!

[3] Comentário enviado por junior em 07/12/2009 - 13:55h

Rapaz, maravilha de artigo.
Já tinha feito esse trablalho com TinyCore Linux, Slax, DSL e outros.
Mas essa distro parece ser um pouco mais trabalhada.

Aqui em Criciúma - SC também fazemos trabalhos com memórias flash para caçaníqueis apareendidos.


Parabéns!

[4] Comentário enviado por cytron em 07/12/2009 - 19:19h

Muito bom esse slitaz, eu já estava fazendo alguns testes, fácil de usar e muito leve. Encontrei um bugzinho em wireless, pois é necessário instalar manualmente o drive referente ao dispositivo detectado, o chipset ZyDAS foi normal, mas o rt73, apesar de instalar, o módulo não sobe, nem mesmo manualmente, verifiquei no diretório e constatei que não instalou corretamente, tentei compilar mas dá erro, como estava meio sem tempo deixei de lado e mandei slack no laptop, ficou mais pesado, é claro! Mas era para um cliente e eu não tinha tempo de ficar lutando kung-fu.

Vira e mexe aparecem clientes com aqueles 233, 586 e tal... kkk, ficam querendo colocar internet banda-larga ehehheh, o slitaz já resolve a, dá pra ressucitar as múmias :)

[5] Comentário enviado por grandmaster em 07/12/2009 - 23:18h

muito interessante o artigo.


---
Renato de Castro Henriques
CobiT Foundation 4.1 Certified ID: 90391725
http://www.renato.henriques.nom.br

[6] Comentário enviado por vinipsmaker em 08/12/2009 - 13:47h

Achei que esse artigo ia ser perfeito para mim, mas eu queria instalar pela usb justamente porque não tenho drive de cd.

[7] Comentário enviado por Fabio_Farias em 08/12/2009 - 14:41h

Amigo
Baixei esse slitaz mas não consigo instalar. Depois do boot ele carrega algun poucos arquivos e para. Também não o consigo colocar em português. Tem algum tutorial aí? Agradeço desde já a atenção. Parabéns pelo artigo.
Abraços!

[8] Comentário enviado por oriel.frigo em 08/12/2009 - 18:15h

Valeu pelos comentários pessoal!

vinipsmaker, é possível instalar sem drive de cd sim.. Isso pode ser feito de diversas formas, como por exemplo inicializando o sistema por meio da ISO do SliTaz em uma máquina virtual, como o VirtualBox.

Aí dentro do VirtualBox, vc poderia seguir os passos que coloquei neste artigo, utilizando o comando tazusb.

FábioFarias, a documentação do SliTaz pode ser lida aqui: http://slitaz.org/pt/doc/handbook/index.html
O fórum de discussão: http://forum.slitaz.org/

Mas se vc informar o problema mais exatamente, em que momento ele para no boot, posso tentar ajudar também!

Abraços



[9] Comentário enviado por astdarkness em 08/12/2009 - 21:56h

Parabéns pelo artigo. É mais uma opção de mini distro!

[10] Comentário enviado por vinipsmaker em 09/12/2009 - 10:10h

Como você quer que eu virtualize uma máquina em um netbook?!
Amanhã eu procuro mais sobre o assunto.

[11] Comentário enviado por Fabio_Farias em 09/12/2009 - 10:24h

oriel.frigo
O erro que aparece é o mesmo do nosso amigo juniorg12 nesse post:http://www.vivaolinux.com.br/topico/Iniciantes-no-Linux/Instalar-Linux-NoteBook-Antigo-Qual-melhor-versao-Como-instalar?num_por_pagina=12&pagina=5

citação:

"Veja os vídeos que gravei do problema apresentado.

http://www.youtube.com/watch?v=phV_8Mum13E

depois da dica

http://www.youtube.com/watch?v=e-_aAMGvn4s "

A instalação para nessa tela. Vou ver se encontro algo nos manuais do slitaz. Mas se você já souber a resposta agradeço.
Obrigado pela atenção.

[12] Comentário enviado por oriel.frigo em 09/12/2009 - 11:58h

Fábio, acho que sei o que está acontecendo.. O live cd da versão oficial do SliTaz precisa de pelo menos 160MB pra descomprimir todo o rootfs.gz dentro do espaço da memória RAM. Dê uma lida aqiu http://www.slitaz.org/pt/doc/releases/2.0/relnotes.pt.html#hardware .

Para bootar corretamente em sua máquina, vai precisar utilizar essa imagem ISO http://download.tuxfamily.org/slitaz/iso/2.0/flavors/slitaz-loram.iso , que é a versão loram. Quando aparecer a tela de boot ("escrito bienvenue - welcome"), vc precisa escrever "loram" e dar enter.

Tente isso e veja se funciona!

abraços

[13] Comentário enviado por Fabio_Farias em 12/12/2009 - 12:57h

oriel
Consegui dar o boot com a variante loram. Muito obrigado.
Mas como nem tudo são flores, o mouse serial não funciona. Aó não consigo nem usar o liveCd, nem instalar no computador. Tem alguma dica aí de como faço isso funcionar?
Obrigado pela atenção.
Abraços!

[14] Comentário enviado por gokernel em 14/12/2009 - 11:14h

Também gostei deste artigo, e principalmente me interessei pela uso de memória flash.

Pergunta:
01 - É possível substituir o HD do meu Note por uma memória flash de pelo menos 2 Gigas?
02 - E a velocidade de LEITURA/ESCRITA seria próxima à velocidade de um HD convencional?

Desculpe pelo OFF TOPIC.

gokernel
gokernel@hotmail.com

[15] Comentário enviado por doradu em 11/02/2010 - 16:34h

parabéns

[16] Comentário enviado por cytron em 25/03/2010 - 23:30h

Só achei estranho como é que deixaram passar algumas coisas básicas:

script pppoe-start, pppoe-stop e pppoe-connect estão SEM permissão de execução. Ao tentar executar retorna a mensagem de Permissão negada.

para resolver: # chmod +x /usr/sbin/pppoe-*

E o gerenciador tazpkg dá erro ao instalar qualquer pacote, pois utiliza um tal de fs.cpio.gz que não existe, mas parece que o certo é lzma.

De qualquer forma a correção é simples:

Abra o script tazpkg em /usr/bin/tazpkg, vá até a linha 352 e troque a linha (zcat fs.cpio.gz | cpio -idm && rm fs.cpio.gz) por esse if:

if [ -e $TMP_DIR/fs.cpio.gz ]; then
zcat fs.cpio.gz | cpio -idm && fs.cpio.gz
else
lzma d fs.cpio.lzma -so | cpio -idm && rm fs.cpio.lzma
fi

Pronto! Pode usar o tazpkg.

Atualmente uso slitaz em um pendrive para realizar manutenção de emergência, anti-virus, serviços em HD, e muitas outras coisas, inclusive quando preciso usar um PC e não estou em casa, saco o pendrive e uso MEU PRÓPRIO sistema com total segurança, sem medo de um keylog ou trojan eheheheh. A galera fica de cara! kkkkkk

Ficam comentando assim...: Olha o sistema do cara! É num pendrive, e já reconhece tudo que tem no PC! (kkkkk, galera MS)

[17] Comentário enviado por antoniocaser em 27/03/2012 - 20:28h

Amigos;

Primeiramente, me desculpem, por eu tirar minha duvida aqui, é que não encontrei nenhum tópico relacionado ao meu problema.

Instalei o Ubuntu 10.10 no cartão "Flash Reader" (SDHC Sandisk 8Gb Extreme Pro 95Mb/s), ficou "show de bola", mas, o menu de inicialização de boot do grub não aparece, entra direto no sistema, já fiz de tudo (ou quase tudo) e até agora nada.

Alguém poderia me ajudar?

Abraços a todos.


Contribuir com comentário